Candidíase – O que é, Sintomas, Causas, Tratamento, Prevenção candidíase - Candidi  ase 860x574 - Candidíase – O que é, Sintomas, Causas, Tratamento, Prevenção

Candidíase – O que é, Sintomas, Causas, Tratamento, Prevenção

Print Friendly, PDF & Email candidíase - printfriendly pdf email button md - Candidíase – O que é, Sintomas, Causas, Tratamento, Prevenção
Candidíase – O que é, Sintomas, Causas, Tratamento, Prevenção
5 (100%) 1 voto

A candidíase é uma doença na qual afeta a parte genital das mulheres. Este problema pode ocorrer na pele, além das membranas mucosas, causadas pelo fungo Candida.

O fungo pode causar coceira, secreção, e também fazer com que a região fique inflamada. Além disso, para especialistas, a doença não é sexualmente transmissível, portanto ela pode ocorrer sem o contato íntimo.

Esta doença é bastante comum e qualquer mulher pode apresentar os sintomas. Esta enfermidade tem cura e pode ser tratada com acompanhamento médico.

Para conhecer um pouco mais sobre esta infecção fúngica e saber como curar a coceira, acompanhe o artigo a seguir.

Candidíase

A infecção vaginal decorrente do fungo Candida albicans, é chamada de candidíase. A doença é causada pelo fundo da flora vaginal da mulher, portanto, ele pertence ao organismo feminino.

Quando a mulher está com o seu organismo debilitado, devido ao estresse, baixa imunidade, ou então por outro problema é possível que os fungos se proliferem e ocorra a infecção.

A região genital da mulher é úmida e quente, logo, é natural que aconteça a proliferação dos fungos. Além disso, ela não é sexualmente transmissível.

Como vimos, quando ocorre à baixa resistência do organismo é possível que o fungo se multiplique e apareçam os sintomas.

Segundo a Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (Sogesp), a doença afeta cerca de 75% das mulheres. Assim, mulheres e até meninas de qualquer idade podem apresentar a enfermidade.

A candidíase também pode apresentar sintomas no pênis, na boca (sapinho) e em outras regiões. Isto ocorre, pois os fungos do gênero Candida podem estar em várias partes do corpo. Deste modo, se ele estiver em local na qual apresente condições adequadas é possível que ocorra o desenvolvimento da irritação.

Sintomas da Candidíase

Cada usuário possui um organismo, portanto, os sintomas podem variar de pessoa para pessoa. Os seus sintomas também podem ser alterados caso ocorra uma nova infeção.

Todos estes sintomas podem ser diferentes e sofrer alterações, desde os mais leves, moderados e até mesmo aos mais complicados. No entanto, a maior parte das pessoas apresentam os seguintes sintomas:

  • Ardência na entrada da vagina (vulva);
  • Corrimento branco e espesso;
  • Coceira na região íntima;
  • Inchaço dos lábios (grandes lábios).

Os sintomas podem ser apresentados do seguinte modo:

  • Ardência ao urinar;
  • Dor durante a relação sexual;
  • Feridas na região da vagina;
  • Pele rachada ( Perto da vulva).

Quem pode ter a Candidíase ?

Como vimos acima os casos são bastante comum, assim uma média de 3 em cada 4 mulheres podem desenvolver a enfermidade. Existem casos na quais diversas mulheres sofrem com candidíase recorrente.

Algumas situações podem contribuir para o aparecimento dos sintomas, tais como:

  • Apresentar HIV ou outra doença que prejudique o sistema imunológico;
  • diabetes;
  • Menstruação;
  • Mulheres grávidas.
  • Uso de antibióticos;
  • Uso de anticoncepcionais.

Candidíase e gravidez

A doença não impede que ocorra a gravidez, no entanto, conforme os sintomas é possível que a relação sexual seja desagradável. As mulheres que estão grávidas apresentam mudanças no seus hormônios e isto afeta o corpo e pode contribuir para o desenvolvimento da candidíase.

Nestes casos, antes de iniciar qualquer tratamento é preciso entrar em contato com um médico.

Tipos de candidíase

A candidíase pode variar conforme o local na qual ela aparece. A seguir, conheça como ela pode se manifestar:

  • Candidíase vaginal

A candidíase vaginal é a mais comum e atinge as mulheres que estão com baixa resistência. Nestes casos, o fungo já está no organismo e ele consegue replicar, o que faz com que o corpo perca os recursos para conter a doença.

  • Candidíase peniana

A candidíase no pênis (balanopostite) não é muito comum. Na maior parte das vezes ela é ocasionada devido à vulnerabilidade do organismo.

Quando o usuário apresenta problemas de saúde é possível que o fungo se reproduza, assim a falta de higiene ou diabete pode ser um sintoma.

  • Candidíase oral

A candidíase oral pode acontecer em diversos grupos, podendo ser em crianças, idosos, diabéticos ou nos adultos. Ao ocorrer o contato íntimo com pacientes que estão em fase de tratamento é possível comprometer o sistema imunológico. Neste quadro, aparecem aftas na boca, além da dificuldade de engolir.

  • Candidíase de esôfago

As esofagites ocorrem devido ao fungo Candida albicans. Este fungo é um dos mais raros diante das inflamações no esôfago. Este quadro pode ocorrer nos usuários que apresentam baixa imunidade, assim como portadores de AIDS e câncer.

A candidíase de esôfago acontece também em idosos e é rara nas crianças, com exceção nos casos em que elas tenham problemas de imunidade.

  • Candidíase na pele (Intertrigo)

O intertrigo candidiásico é uma infecção na pele, que ocorre sem que ocorra outros fatores associados. A doença aparece quando existe o atrito das peles na qual garante o surgimento de lesões devido ao ambiente propício (calor, umidade e alimento), assim como a proliferação de bactérias e fungos.

Os locais que são mais propensas ao aparecimento da doença são as dobras, como:

  • Axilas;
  • Barriga;
  • Nos dedos ( mãos e pés);
  • Nádegas;
  • Parte interna das coxas;
  • Pescoço;
  • Sob as mamas;
  • Virilha.
  • Candidíase invasiva

Este caso segue nos pacientes na qual apresentam sistema imunológico enfraquecido. A doença pode ocorrer em recém-nascidos de baixo peso e até nos hospedeiros imunocomprometidos, sendo em infecção hospitalar.

O fungo acaba atingindo a corrente sanguínea, o que faz com que qualquer órgão seja afetado e cause algumas complicações.

Causas da candidíase

A causa da doença é pelo fungo Candida albicans. Todas as mulheres apresentam algumas quantidades no organismo, e esta deve manter-se em equilíbrio com a flora vaginal.

Entretanto, existem alguns fatores como apresentados ao longo do texto que podem desencadear o desequilíbrio do organismo. Neste caso é possível que o fungo comece a se reproduzir e cause todos estes sintomas.

Normalmente as áreas mais quentes e úmidas são bastante propícias para o desenvolvimento do fungo. Diante disso, as partes íntimas, assim como as zonas de dobra da pele, garganta e boca são propícias para o surgimento do problema.

Devido ao desequilíbrio e concentração do fungo, é natural que ele apareça em adultos ou crianças com sistema debilitado. Isto ocorre devido às defesas do organismo e ajuda no seu crescimento exagerado.

Candidíase e o sexo

É preciso frisar que a candidíase não é sexualmente transmissível (DST). Deste modo, homens e mulheres que não tiveram relação sexual podem ter a enfermidade.

Para compreender é preciso frisar que os usuários com a fauna genital e o seu sistema imunológico prejudicado podem desenvolver a candidíase, através do sexo. Neste tipo de situação, o ideal é que ocorra a abstinência sexual.

Diagnóstico da candidíase

No diagnóstico pode-se usar o histórico do paciente, inclusive a verificação de infecções vaginais passadas. Em seguida é feito um exame físico.

O ginecologista utiliza um espéculo para verificar as paredes vaginais e o colo do útero. Pode ser solicitado também o recolhimento de amostras de corrimento para análise laboratorial.

Tratamento da candidíase

O tratamento independente da localização, e é feito com uso de pomadas antifúngicas ou medicamentos antimicóticos. Para as situações na qual a mesma é recorrente, é preciso que aconteça uma mudança no estilo de vida.

Neste caso é preciso analisar os fatores de risco, como uso de corticóides, infecção pelo HIV, diabetes e outros. Para a candidíase vaginal recorrente, o tratamento ocorre com medicamentos orais e também com mudanças na alimentação.

Prevenção da candidíase

A prevenção deve ser feita com o cuidado da roupa, esta deve manter-se limpa e seca. O uso de antibióticos é indicado somente com a orientação médica.

Além disso, é preciso manter uma vida saudável e seguir uma alimentação adequada. Os usuários com diabetes precisam manter o açúcar do sangue sob controle.

A higiene regular também auxilia, inclusive o uso de roupas com tecidos de algodão.

Referências:

 

 

Nos conte sua opinião!

x'