AFTA – O QUE É, CAUSAS, SINTOMAS, COMO TRATAR, PREVENÇÃO  - AFTA CAUSAS O QUE E   COMO TRATAR SINTOMAS PREVENC  A  O - AFTA – O QUE É, CAUSAS, SINTOMAS, COMO TRATAR, PREVENÇÃO

AFTA – O QUE É, CAUSAS, SINTOMAS, COMO TRATAR, PREVENÇÃO

Print Friendly, PDF & Email  - printfriendly pdf email button md - AFTA – O QUE É, CAUSAS, SINTOMAS, COMO TRATAR, PREVENÇÃO
AFTA – O QUE É, CAUSAS, SINTOMAS, COMO TRATAR, PREVENÇÃO
5 (100%) 1 voto

Sabe aquela famosa ferida que nasce na região da boca que causa dor, incômodo e até mesmo dificuldade para comer? Conhecida como afta, este tipo de lesão é bastante comum, mas ainda existem muitas dúvidas sobre a real causa do problema e como evitá-lo, visto que dependendo do tipo de afta pode demorar a sumir definitivamente.

Se você costuma sofrer com este problema, este artigo é para você! Saiba o que fazer para evitar o aparecimento de aftas de uma vez por todas!

O que são aftas?

O nome científico para o problema é estomatite aftosa e costuma se apresentar em forma de pequenas feridas em formas de bolhas causando bastante dor no local, e impedindo que atividades corriqueiras como falar e comer tornem-se um grande sofrimento.

As aftas aparecem, geralmente, na região das bochechas, lábios, gengivas e língua, mas também podem surgir na região da garganta, causando um desconforto ainda maior, visto que os alimentos necessitam passar pelo local.

A característica mais marcante do problema é a presença de uma espécie de cobertura branca na região superficial da afta, provavelmente causada pela presença de células defensivas do corpo que acabam se deslocando até a ferida com a finalidade de curar a região afetada, mas acabam ocasionando um processo exagerado de inflamação.

Tipos de aftas

Embora muitas pessoas desconheçam o fato, existe mais de um tipo de afta. Conheça cada uma delas:

Estomatite Aftosa Menor: Como o próprio nome já sugere, este tipo de afta é bem pequena, apresentando diâmetro inferior a 1 centímetro. A estomatite aftosa menor é a forma mais comum do problema e geralmente some completamente dentro de 5 a 7 dias, sem deixar marcas na região.

Estomatite Aftosa Maior: A estomatite aftosa maior costuma medir mais de 1 centímetro de diâmetro e é conhecida por causar dores bastante intensas. Este tipo de afta é considerado mais grave que a estomatite aftosa menor, visto que costumam permanecer na cavidade bucal por cerca de 15 dias, deixando cicatrizes na área.

Estomatite Aftosa Herpetiforme: Este tipo de estomatite é bastante raro. Estima- se que menos de 5% da população apresente esta forma da doença em algum momento da vida. A principal diferença entre a estomatite aftosa herpetiforme e os demais tipos é que enquanto nas estomatites menor e menor surgem aftas isoladas, a herpetiforme apresenta várias bolhas, todas próximas umas das outras. O tempo de cura das feridas oscila entre 5 a 7 dias.

Além destas 3 formas clássicas da doença, o indivíduo pode desenvolver o problema por outras 2 razões:

Alergia: Neste caso, as aftas aparecem como uma resposta alérgica a determinados alimentos, bebidas ou até mesmo medicamentos. Para evitar o problema é importante que a pessoa identifique o que consumiu antes do aparecimento da afta e se possível, não consuma mais o agente alérgico.

Trauma: As aftas por ocasionadas por trauma são bastante frequentes. Você provavelmente já machucou a boca com algum alimento, fio dental ou até mesmo com a própria escova de dente e depois percebeu que uma afta formou-se exatamente no local da lesão certo? Bem, isso ocorre por conta do processo de cicatrização da lesão pelas células de defesa, como mencionado anteriormente.

Causas da afta

São várias as causas para o aparecimento de aftas, conheça as principais:

Alimentação deficiente: Quando o indivíduo alimenta-se mal, acaba ficando deficiente em vitaminas e minerais.  Uma das causas para o surgimento das aftas é a deficiência de vitamina b12, Zinco e Folato. Para repor e manter os níveis destes nutrientes dentro da normalidade é necessário alimentar-se de forma variada e saudável. Se for necessário, busque um nutricionista para ajudá-lo.

Stresse: Tanto o stresse quanto a ansiedade acabam debilitando o sistema imunológico do indivíduo, o que favorece o aparecimento das aftas. Encontrar formas de relaxar, fazer atividades físicas e se necessário buscar ajuda psicológica, são formas de tentar amenizar o problema.

Uso de aparelhos ou próteses: Adicionar uma estrutura que não existia na sua boca geralmente causa vários incômodos até que o indivíduo se acostume. Geralmente os aparelhos ou próteses acabam lesionando a boca e as aftas acabam surgindo como uma resposta ao trauma.

Intolerância ao glúten: Embora a doença não cause aftas diretamente, ela aparece como um sinal de que algo no sistema gastrointestinal não está bem. Desta forma, se as aftas não desaparecem, é fundamental que se procure um médico para investigar a causa do problema.

HIV/AIDS: O indivíduo portador do vírus HIV que se encontra com o sistema imunológico debilitado costuma apresentar aftas maiores, recorrentes e com dificuldade de cura. Muitas vezes, este acaba sendo o primeiro sinal de que há infecção com o vírus.

Genética: Quem possui familiares próximos que convivem com o problema geralmente tem uma predisposição a desenvolver aftas com certa frequência.

Câncer: Assim como nos casos de HIV, o indivíduo com câncer apresenta uma imunidade bastante baixa, o que favorece o surgimento das aftas.

Helicobacter pylori: Esta bactéria costuma alojar-se no estômago através de alimentos ou água contaminados, sendo a principal causadora de problemas como úlcera gástrica. Em caso de infecção com a bactéria, podem surgir aftas na boca como um sinal de desequilíbrio no estômago.

Sintomas da afta

A presença da ferida esbranquiçada e dolorida já costuma caracterizar a afta de cara, mas outros sintomas também são característicos do problema. Conheça-os:

  • Vermelhidão ao redor da afta;
  • Dor e coceira, principalmente quando o indivíduo fala e come;
  • Alteração no paladar;
  • Sangramento no local caso haja um leve trauma (no momento de escovar os dentes, por exemplo).

Como tratar as aftas

Não existe um tratamento específico para aftas, pois geralmente o problema desaparece sozinho. Mas algumas medidas ajudam a amenizar os sintomas e acelerar a cura. Veja as principais:

  • Pomadas para minimizar a dor (utilize somente se a pomada for indicada por um dentista ou médico);
  • Alimentação saudável, com a presença de frutas, legumes, fibras e proteínas magras.
  • Higiene bucal completa e após todas as refeições;
  • Medicações para regular a acidez do estômago (caso as aftas sejam resultado de problemas estomacais e tenham sido receitadas por um médico);
  • Evitar o consumo de alimentos ácidos, industrializados e ricos em condimentos enquanto a afta está em processo de recuperação. Temperos e molhos prontos, frutas cítricas como laranja, acerola e kiwi são alguns exemplos de alimentos que devemos evitar neste período;
  • Fazer bochechos com soluções antissépticas. Desta forma, você mantém a ferida limpa e esterilizada, o que favorece a recuperação rápida;
  • Coloque gelo na ferida. Algumas pessoas relatam um alívio na dor e no inchaço quando adicionam gelo por alguns segundos na afta. Embora não seja uma recomendação médica, costuma aliviar o desconforto. Não custa tentar, não é?

Prevenção de aftas

A forma mais eficaz de prevenir o aparecimento das aftas é manter uma alimentação saudável, sono de qualidade (cerca de 8 horas por noite), prática de exercícios físicos e higiene bucal de qualidade. Consultas de rotina com dentistas e nutricionistas podem auxiliá-lo nos cuidados para evitar o aparecimento das aftas.

Como você pôde ver, as aftas são problemas bastante comuns e que não necessitam de tratamentos longos e medicamentosos. Entretanto, você deve procurar um médico caso as aftas apareçam com frequência e não respondam aos métodos preventivos, pois é necessário investigar a real causa do problema. A sua saúde agradece!

Referências:

 

Nos conte sua opinião!

x'